segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Vinhateiros do Brasil - Domínio Vicari



Em Imbituba, Santa Catarina, a cerca de 80 km de Florianópolis, está a Praia do Rosa. Nesta que é uma das mais belas baías do mundo se pode curtir a tranquilidade da praia, praticar surf em ondas perfeitas, observar as baleias francas e produzir vinhos de autor.


Sim, soa estranho uma combinação entre praia e vinhos que não seja unicamente a do prazer de bebê-los apreciando o mar. Pois foi neste lugar inusitado e especial que em 2008 Lizete Vicari, ceramista habilidosa, e o enólogo Augusto Vicari Fasolo, mãe e filho descendentes de imigrantes italianos, produziram seu primeiro vinho. Nasceu assim o Domínio Vicari, com a missão de elaborar vinhos autênticos e naturais, expressão pura da fruta, de seu lugar de origem e da arte de seus idealizadores.
Provar estes vinhos é, sem dúvida, uma experiência tão prazerosa quanto desfrutar das belezas desta praia.


As uvas utilizadas nestas elaborações vem de vinhedos em Monte Belo do Sul, no Vale dos Vinhedos, onde a família de origens italianas pratica a viticultura desde 1936. A região é montanhosa, com declividades acentuadas e solos de rochas vulcânicas. Um hectare de Riesling Itálico e  0,5 hectare de Merlot, tratados com altas doses de paixão, resultaram nas primeiras 1.000 garrafas de cada um destes deliciosos vinhos. 


A filosofia de elaborações mais puristas e naturais começa nos vinhedos, cultivados sob os preceitos das Boas Práticas Agrícolas (BPA), um conjunto de princípios e normas desenvolvido pelo Grupo de Agricultura do Escritório Regional da FAO para América Latina e Caribe.
Estas práticas são orientadas aos cuidados com a segurança de trabalhadores e consumidores, com o meio ambiente, o bem estar animal e a segurança alimentar, produzindo alimentos sadios e de alta qualidade, que promovam a nutrição e alimentação dos consumidores.
Os cuidados continuam durante toda a produção, com uma elaboração sem adição de sulfitos, sem filtragem e sem adição de leveduras, utilizando apenas aquelas que a própria fruta oferece. O desengace é feito em um equipamento especial, uma desengaçadeira com pás de madeiras dos tempos dos avós de Lizete. Especialmente para a safra 2008 do Riesling Itálico ela escolheu sete amigas para fazerem juntas a pisa das uvas. "Acho que a pisa acrescenta aos sabores um toque Dionisíaco, pois o prazer e a alegria são inegáveis" conta Lizete afirmando que a escolha de sete amigas não tem nada de cabalístico ou esotérico.


Os Vicari acreditam que quanto mais as pessoas desenvolvem o paladar, mais se aproximam deste estilo que Lizete descreve como “Um vinho sem máscaras. Produzido, engarrafado e pronto para que você o deguste e sinta a mesma sensação do elevado prazer que sentimos ao fazê-lo. Deixamos ele livre para que expresse a sua vontade. Aos poucos o mercado está crescendo, os vinhos estão ficando muito parecidos, e todos gostamos de provar algo único."
Último detalhe: a caprichosa elaboração do rótulo. Lizete é uma ceramista de mão cheia e criou uma mandala em mosaico especialmente para representar toda a arte que norteia o trabalho destes verdadeiros Vinhos de Autor.



Recentemente esta ceramista apaixonada por vinhos fez uma longa viagem pela França. Passou pelo Loire e pela Provence, visitando  vinhedos e vinícolas onde relata ter provado de vinhos surpreendentes a outros nem tanto. Orgulhosa de seu trabalho, levou algumas de suas garrafas na bagagem, oferecendo a alguns produtores que se surpreenderam ao saber que o Brasil está produzindo vinhos com esta delicadeza e qualidade.
Ao voltar para casa, a sua querida Praia do Rosa, declarou “volto com a certeza de que a enologia é um acontecimento poético e Oxalá nos deixem produzir uma bebida que nos traga apenas alegria.”
Essa certeza fundamenta os planos para o futuro deste jovem projeto: continuar produzindo em pequenas quantidades, ampliando apenas com a escolha de uma terceira uva para as próximas safras.

Cada dia mais eu me convenço de que são estes pequenos projetos de alma grande que estão fazendo a verdadeira revolução na vinicultura brasileira. É esta autenticidade, este desejo profundo de produzir algo bom, puro e verdadeiro que vai, aos poucos, revelando a qualidade e a identidade do vinho produzido em nosso país. Nem melhor, nem pior que de outras regiões do mundo. Apenas bons vinhos brasileiros. Quiçá grandes!

4 comentários:

Álvaro Cézar Galvão disse...

Veja http://divinoguia.blogspot.com.br/2010/11/dominio-vicari-merlot-reserva-2008.html
Veja http://divinoguia.blogspot.com.br/2010/04/dominio-vicari-de-santa-catarina-direto.html

qynohtna disse...

My name is Anthony Quinn and I live in northern Virginia and work in Washington D.C. and manage the wine store Cleveland Park Wines & Spirits. I will follow your blog and learn Brazilian Portuguese as I read and use my dictionary to translate what I do not understand. Check out my blog on Brasil as well at : chatbrasil.blogspot.com. Cheers and thanks. I love what wines I have tried from Brasil and sell some at my store and have now for years.

Madame do Vinho disse...

Hi Anthony,
I feel happy to know about your interest in brazilian wines.
Which ones you sell in your store?
Let me know if you need any information.
All the best

Patricia Viccari de Bittencourt disse...

Nossa, estou orgulhosa de descobrir um vinho com meu sobrenome. Agora quero degustar. Com certeza deve ser um maravilha, pois a garra e determinação dos italianos e desta família me honra.
Patricia Viccari